Header Ads


Trump prefere correio a email e diz que nenhum computador é seguro [Saiba Mais...]

Se quer enviar uma mensagem realmente importante, “escreva-a numa carta e envie-a por correio, à moda antiga”, aconselha o próximo inquilino da Casa Branca.
O ano não podia acabar sem que mais uma “pérola de sabedoria” de Donald Trump ficasse plasmada nos media. Durante a sua festa de Final de Ano no estado norte-americano da Flórida, aquele que ficará na História como o quadragésimo quinto Presidentes dos Estados Unidos disse que não há melhor forma de comunicar do que pelo tradicional correio.
Segundo a agência noticiosa Associated Press, Trump considera que nenhum computador é invulnerável a ataques informáticos, independentemente das garantias de segurança que possam ser dadas pelas fabricantes ou por especialistas.
Nos últimos dias, a cibersegurança tem estado sob as luzes da ribalta nos Estados Unidos, depois da Administração Obama ter acusado a Rússia de manipulação dos resultados das eleições presidenciais do passado mês de novembro e que deram a vitória ao candidato republicano.
O governo de Moscovo negou firmemente as acusações, mas Washington não se demoveu e ordenou a expulsão de 35 diplomatas russos nos Estados Unidos, apontando-os como espiões. Também Donald Trump recusou as acusações de Obama sobre a adulteração dos resultados eleitorais.
Citado pela agência, o novo Presidente sublinha que é bastante difícil atribuir a responsabilidade por um ataque informático e que quer certificar-se de que as autoridades norte-americanas estão na posse de todas as provas que lhes permitam fazer as acusações que têm vido a fazer.
Donald Trump mostra-se cético quanto à segurança dos dispositivos eletrónicos, apesar da já demonstrada proficiência na utilização do Twitter, uma plataforma que se provou crucial e bastante eficaz durante a sua campanha presidencial.
CBS News avança que, ao longo desta semana, vão ser divulgadas novas informações acerca da alegada manipulação os resultados das eleições, depois de Trump se reunir com oficiais dos serviços de inteligência norte-americanos.


Com tecnologia do Blogger.